Entender a dor Ciática


É frequente ouvirmos falar da dor ciática. Mas o que é esta dor que incomoda tanta gente?


A dor ciática refere-se a uma dor e sintomas associados que surgem ao longo do nervo ciático. Esta dor é por vezes chamada de radiculopatia lombar, pelo facto de, na maioria das situações estar associada à raíz nervosa do nervo ciático que tem origem entre a 4ª vértebra lombar e a 3ª vértebra do sacro.



O nervo ciático percorre a anca, nádega e a perna. Frequentemente a origem dos sintomas encontra-se junto às raízes nervosas que saiem do canal espinhal no centro da coluna. A existência de algum tipo de compressão, seja por um derrame do disco intervertebral (hérnia), pelo estreitar do canal medular (estenose) ou mesmo por uma diminuição do espaço do canal por onde passam as raízes nervosas (canal foraminal) pode ser a origem de dor irradiada, falta de força e dormência na anca e perna. Em situações de curta duração.



Quando os sintomas surgem num episódio de duração mais curta, referimo-nos a esta condição como um episódio agudo de ciática. Se os sintomas se tornam muito frequentes e constantes ao longo de meses, denomina-se por ciática crónica e é normalmente resultado de vários factores que contribuem para o aparecimento e continuada existência dos mesmos. Os sintomas podem ser controlados através de medicação, fisioterapia, termoterapia e crioterpia a curto prazo, no entanto a causa dos sintomas deve ser trabalhada através do recurso ao exercício terapêutico.


De que nos vale tratar os sintomas, se não tratarmos a causa que leva a que hajam episódios recorrentes de ciática?



Quais são os sintomas da Ciática?


Os sintomas mais comums da dor ciática são:


  • Dor lombar

  • Dor aguda ao longo da perna

  • Dor irradiada da nádega até ao pé

  • Dor constante na nádega

  • Sensação de ardor ou pontadas na nádega

  • Fraqueza ou dormência na perna afetada

  • Dificuldade em movimentar a perna ou pé afetados

  • Dor aguda ao estar de pé

  • Desconforto ao estar sentado por longos períodos de tempo




Causas da Ciática


A coluna lombar e a anca são zonas de transferência de forças entre as pernas e o tronco que suportam toda a carga do tronco mais qualquer outra carga que carregemos (mochila, saco, etc.). Quando nos movemos e a coluna não apresenta a estabilidade que necessita, da-se um desgaste adicional das articulações intervertebrais e do disco intervertebral, o que frequentemente está na origem dos sintomas da dor ciática.


Os sintomas da dor ciática podem ter origem em diferentes locais:



Síndrome do piriforme


O Piriforme é um músculo pequeno localizado por baixo do grande glúteo. Este músculo facilita a rotação externa da coxa e contribui para a manutenção do equilíbrio na articulação coxo-femoral que é muito móvel por natureza. O nervo ciático passa por baixo ou através do músculo piriforme, desce ao longo da perna e divide-se no nervo tibial e no nervo peroneal comum na parte de trás do joelho. O síndrome do piriforme dá-se quando este músculo comprime o nervo ciático ao estar sentado, caminhar ou correr.



Hérnia discal


Um disco intervertebral herniado ou com um prolapso pode ser outra causa de dor ciática. O disco é uma espécie de “almofada” redonda que se encontra entre as vértebras da coluna vertebral. Contém um núcleo proteico com uma consistência gelatinosa e uma camada fibrosa circundante mais resistente. Por vezes, pelo desgaste de movimentos repetitivos ou por trauma, a camada fibrosa exterior do disco pode ceder, permitindo que o seu interior verta para fora do disco.


Quando isto acontece na zona lombar, pode causar compressão ou irritação das raízes do nervo ciático.




Estenose lombar



O termo "estenose" significa estreitamento. Na estenose lombar pode haver um estreitamento do canal espinhal por várias razões. Algumas alterações ósseas à própria vértebra podem resultar numa diminuição do diâmetro do canal espinhal onde se encontra a medula. Por outro lado, uma hérnia que apresente um derrame posterior, pode também causar compressão sobre o canal espinhal e ser responsavel por uma estenose. A estenose é mais comum em indivíduos com mais de 60 anos.




Espondilolistese



A uma espondilolistese é uma condição associada à intabilidade da coluna que é mais frequente na zona lombar e em que se verifica o deslizamento de uma vértebra sobre outra, deixando de haver alinhamento vertebral. À medida que este deslizamento aumenta, deixa de haver alinhamento do canal espinhal começando a haver compressão da medula. A espondilolistese é geralmente categorizada em 4 graus, sendo que nos graus mais graves, tem já complicações motoras graves e implica tratamento cirúrgico.




Doença degenerativa do disco



Este é um termo geral usado para descrever uma série de condições, geralmente associadas à idade, que podem causar dor neurológica. À medida que envelhecemos, os discos intervertebrais perdem volume por desidratação e por desgaste, o que os torna mais estreitos. Como consequência, estes discos já não conseguem assegurar o espaço necessário entre as vértebras, podendo haver contacto entre zonas ósseas de vértebras adjacentes. Este contacto resulta em abrasão óssea e na formação de osteofitos (pequenos “espigões” ósseos). A menor distância agora existente entre as vértebras também diminui os canais foraminais, por onde passam as raízes nervosas, causando compressão nas raízes do nervo ciático. A doença degenerativa do disco também leva frequentemente à fissuração do disco, resultando em hérnia ou em prolapso discal, o que coloca também pressão na medula ou nas raízes nervosas.




Obesidade



A obesidade é uma causa indireta da dor ciática. O excesso de peso leva a uma sobrecarga da coluna, causando maior pressão nos discos intervertebrais e consequentemente a um maior desgaste dos mesmos. O aumento de peso está associado a alterações posturais que incluem o aumento das curvaturas da coluna, aumentando o risco de aparecimento de hérnias, osteofitos, etc. A obesidade também está frequentemente associada ao sedentarismo e à falta de actividade física. Nestas situações, há geralmente uma falta generalizada de estabilidade na coluna que por sua vez também está associada a um maior desgaste das diferentes estruturas que a compõem. Resumindo, a obesidade não sendo uma causa direta de dor ciática, contribui de várias formas para o aparecimento da mesma.




Gravidez



A gravidez não causa ciática. No entanto, é muito comum haver dor ciática durante a gravidez devido a vários fatores:


  • O aumento de peso e a maior retenção de líquidos podem causar compressão no nervo ciático

  • A alteração do centro de gravidade à medida que a gravidez avança e o mesmo se desloca para a frente, levando a uma compensação na curvatura lombar (hiperlordose)

  • A expansão do útero pode facilitar a compressão do nervo ciático

  • À medida que o bebé se coloca em posição de nascimento, a posição da cabeça pode colocar pressão sobre o nervo ciático


Brevemente, num outro artigo abordaremos os fatores de risco para a ciática, bem como o que pode ser feito para prevenir e aliviar os sintomas da dor ciática.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo